Falece Monsenhor Cástor Oswaldo Azuaje, carmelita descalço e bispo de Trujillo (Venezuela)

Falece Monsenhor Cástor Oswaldo Azuaje, carmelita descalço e bispo de Trujillo (Venezuela)

No último dia 8 de janeiro recebemos a triste notícia do falecimento de Monsenhor Oswaldo Azuaje, ocd, por causa da COVID-19. Monsenhor Oswaldo tinha começado a sentir alguns sintomas da enfermidade em 3 de janeiro, que derivaram em uma pneumonia bilateral. Embora a princípio parecesse que a situação estivesse sob controle, nas últimas horas seu estado se complicou e Monsenhor Azuaje não suportou a intubação com a qual se tentou resolver seu problema de oxigenação, vindo a falecer posteriormente.

Monsenhor Oswaldo Azuaje nasceu em 19 de outubro de 1951 em Maracaibo, ainda que em razão da condição militar de seu pai tenha passado grande parte da infância em Mérida. Ali, em setembro de 1966, conheceu o Carmelo Descalço através das monjas do mosteiro recém-fundado. A partir daquele momento, começou a sonhar com o Carmelo de Teresa na Venezuela, que agora existe graças ao seu exemplo ou ao de outros religiosos, como o Padre José Ramón Castañeda, conhecido como “Padre Pepe”, que faleceu em março de 2019.

Monsenhor Oswaldo fez o noviciado e a primeira profissão no Deserto de Las Palmas (Espanha) e realizou depois os estudos de teologia: um ano no mosteiro de Stella Maris (Israel) [1971-1972] e três na Faculdade do Teresianum (Roma) [1972-1975], que culminou no bacharelado em Teologia. Fez seus votos perpétuos em 31 de agosto de 1974, no Deserto de Las Palmas. Foi ordenado diácono em Roma pelo cardeal Knox em 16 de abril de 1975 e em 25 de dezembro de 1975 foi ordenado sacerdote na cidade de Mérida por Monsenhor Ángel Pérez Cisneros. Em seguida, continuou seus estudos de especialização em Teologia Moral na Academia Alfonsiana de Roma, onde obteve diploma Summa cum Laude em 1978. Em 1995, depois de um ano de estudos, diplomou-se em teologia espiritual no CITES de Ávila (Espanha).

De 1978 a 1984 foi enviado por seus superiores à Costa Rica, onde foi formador e superior. Em San Ramón (Alajuela), junto com o ofício de formador no Carmelo Descalço, realizou serviços na paróquia como promotor da Pastoral Familiar. Posteriormente, em San José, foi professor de Teologia Moral no Seminário Interdiocesano de Paso Ancho (San José) e no ITAC Intercongregacional. Também foi secretário da Conferência de Religiosos da Costa Rica (CONCOR) e diretor da revista teológica Senderos.

Em 24 de julho de 1984, regressou à Venezuela. Foi conventual em Barquisimeto, Caracas, Mérida e Potrero de las Casas (Táchira). Assumiu diversos cargos a serviço do Carmelo venezuelano e, assim, foi em diversas ocasiões formador e superior tanto em nível local como nacional. Foi professor no Seminário Divina Pastora de Barquisimeto, no ITER de Caracas e no Seminário San Buenaventura de Mérida. Em 1998, foi nomeado por Monsenhor Baltazar Porras, arcebispo de Mérida, vigário episcopal para a vida consagrada daquela arquidiocese. Participou nas três primeiras sessões do Concílio Plenário da Venezuela (2000-2005) e esteve na comissão que elaborou o documento sobre a vida consagrada. Foi um grande colaborador e promotor da vida consagrada através da Conferência Venezuelana de Religiosos (CONVER) e na realização de retiros para a vida consagrada em toda a Venezuela. Foi eleito em quatro ocasiões como superior maior dos carmelitas descalços da Venezuela. Trabalhou com frequência na pastoral familiar diocesana, motivo pelo qual levou a cabo retiros para casais, jovens e crianças. Em Barquisimeto e Mérida, foi assessor dos Encontros Familiares da Venezuela.

Em 30 de junho de 2007 foi nomeado por Sua Santidade Bento XVI como bispo auxiliar de Maracaibo, com o título de sede em Vertara. Sua ordenação episcopal foi em 31 de agosto de 2007 na igreja de São Tarcísio, sendo seu ordenante principal Monsenhor Ubaldo Santana, arcebispo de Maracaibo, e bispos consagrantes Monsenhor Baltazar Porras e Monsenhor Jacinto Berloco, Núncio de Sua Santidade.

Foi bispo auxiliar de Maracaibo por quatro anos e oito meses, servindo àquela Igreja ao lado de Monsenhor Ubaldo Santana, arcebispo metropolitano. Foi vigário-geral e vigário territorial da zona 5 do sul da arquidiocese. Em 3 de abril de 2012, terça-feira santa, foi nomeado bispo de Trujillo por Sua Santidade Bento XVI. Tomou posse em 9 de junho do mesmo ano.

Na CEV, foi presidente da Comissão de Juventude e Pastoral Universitária durante dois triênios. De janeiro de 2015 a janeiro de 2018 foi presidente da Comissão de Vida Consagrada. Atualmente era membro da Comissão de Liturgia da CEV.

Além de sua língua materna, o espanhol, Monsenhor Azuaje conhecia os seguintes idiomas: italiano, inglês, português e francês. Estudou piano por alguns anos e solfejo durante sua formação em Zaragoza (Espanha).

Agradecemos à Radio Paz, da diocese de Trujillo (Venezuela), e de modo particular ao Padre Pedro Terán, seu diretor, por sua gentileza em permitir-nos reproduzir este resumo.