As carmelitas descalças no Panamá

As carmelitas descalças no Panamá

A oito meses da chegada de nossas irmãs carmelitas descalças ao Panamá, compartilhamos esta breve crônica de seus primeiros passos naquele país da América Central:

Chegamos ao Panamá com muito entusiasmo no dia 23 de janeiro de 2017 e no dia 25 foi a inauguração da fundação, na qual contamos com a presença de Monsenhor Betran Wick, bispo de Santo Domingo (Equador), e Monsenhor Manuel Ochogavía, bispo de Colón, que foi aquele que nos fez o pedido e em cuja diocese estamos; também estiveram presentes os provinciais da América Central, Colômbia e o delegado provincial do Equador, junto com a presença de muitos sacerdotes, comunidades religiosas e fiéis que por tantos anos haviam desejado e orado pela presença de um convento de carmelitas em seu país; eram cerca de 500 pessoas.

Nestes cinco meses experimentamos a acolhida, proximidade e interesse das pessoas, que com generosidade e carinho nos dão seu apoio, na medida de suas possibilidades. No campo espiritual, estamos fortalecidas diariamente com a Eucaristia e o acompanhamento de nossos padres carmelitas, que nos ajudam a viver nossa vida de oração, fraternidade e trabalho.

O lugar que a diocese nos deu é muito bonito, cheio de vegetação, já que faz parte de uma reserva ecológica de 21 hectares. Assim, o ambiente silencioso nos ajuda em nosso estilo de vida, tudo aqui nos fala de Deus. Também contamos com um santuário dedicado à Santíssima Virgem, ao qual está anexada uma casinha com cinco quartos e um oratório onde fazemos nossa liturgia.

Para nossa sustentação econômica, temos o projeto de fabricar hóstias, pois em todo o país há uma única comunidade que realiza esse trabalho e vemos a necessidade de colaborar nesse sentido.

Até que cheguem a nós as máquinas, que demorarão mais ou menos um ano, nos dedicamos a fazer escapulários e um dia por semana fazemos pão, que é vendido na igreja de nossos frades carmelitas; essa pequena entrada é uma ajuda para, pouco a pouco, pagar as máquinas de hóstias; é o próprio Senhor que provê todo o necessário para realizar esses projetos, e assim experimentamos seu cuidado e amor para conosco, manifestado através da generosidade das pessoas.

Neste momento estamos trabalhando nos projetos e buscando meios para a construção do mosteiro, entregues sempre à sua Providência Divina.

De nossa parte, estamos muito contentes por haver um sacrário a mais onde o Senhor seja amado e glorificado, e que nossa Ordem e a espiritualidade teresiana estejam expandindo-se.

Pedimos sua oração para que possamos cumprir com fidelidade a missão que nos foi confiada e poder ser testemunho da presença de Deus no mundo, especialmente nesta igreja particular de Colón Kuna Yala.

Irmãs Carmelitas do Panamá