As Carmelitas de Kananga-Malole, evacuadas

As Carmelitas de Kananga-Malole, evacuadas

Desde há mais de um ano, na região de Kananga (República Democrática do Congo), vêm produzindo-se enfrentamentos entre membros da etnia tribal maioritária e o governo central de Kinshasa, em resultado dos quais morreu o líder local Kamuina Nsapu. Declaradas em rebeldia, as suas milícias, apesar da crescente presença do exército congolês, continuam gerando muitos problemas que afectam aos cidadãos.

Em particular elegeram como alvo das suas iras à Igreja Católica, pois esta ofereceu-se como mediadora para alcançar a paz e os rebeldes, e no cúmulo do delírio, interpretaram este gesto como uma ajuda ao  governo.

Assim, no passado sábado 18 de fevereiro saquearam o seminário de Cristo Rei e, no mesmo dia, entraram no mosteiro das nossas irmãs de Malole as quais, felizmente, não sofreram nenhum mal.

Contudo, para evitar males maiores, o Núncio no Congo determinou que as monjas se trasladassem ao centro de retiro “Tabor”, no centro da cidade, onde estarão mais seguras na esperança de poder regressar brevemente ao seu  mosteiro.

Acompanhamos as nossas irmãs e ao povo congolês com a nossa oração.