Resenha biográfica de Frei Felipe Sainz de Baranda, ocd

Resenha biográfica de Frei Felipe Sainz de Baranda, ocd

Queridos irmãos, no começo do dia de hoje anunciávamos o falecimento de nosso irmão Felipe Sainz de Baranda e dávamos a notícia de seu funeral marcado para amanhã, mas finalmente adiado para sexta-feira – 28 de julho – às 16:15 h. Desse modo, facilitou-se que irmãos nossos que vivem fora da Espanha possam comparecer. Espera-se a chegada de Frei Agustí Borrell, Vigário-Geral de nossa Ordem.

A seguir, compartilhamos uma breve resenha biográfica de nosso irmão:

Frei Felipe nasceu em Baranda, no dia 3 de outubro de 1930. Filho de Eugenio e Leonor, ingressou no Colégio teresiano de Calahorra (La Rioja) em 1941, onde fez o curso de humanidades até 1945.

Veste o hábito do Carmelo em Burgo de Osma (Soria) em 4 de outubro de 1945, iniciando seu noviciado, que culmina com a profissão religiosa em 5 de outubro de 1946.

Transfere-se a Burgos, onde cursa os dois primeiros anos de Filosofia no convento da Ordem, concluindo os estudos em Oviedo (Asturias) em 1949.

Retorna a Burgos para iniciar a Teologia e, depois de cursar os dois primeiros anos e emitir a profissão solene em outubro de 1951, é destinado ao Colégio Internacional da Ordem, em Roma. Foi ordenado sacerdote em 19 de dezembro de 1953.

Ao concluir o curso institucional em 1954, obtém a Licença em Teologia, fazendo o Doutorado em 1954-1955. Prossegue os estudos de Sagrada Escritura no Biblicum, de 1955 a 1958, licenciando-se em 1958.

Em outubro de 1958, é nomeado professor de Sagrada Escritura e Patrística do Colégio Teológico de Burgos, tarefa que cumula com a direção da revista El Monte Carmelo, a partir de 1960.

Em 1963, é nomeado segundo conselheiro provincial e, posteriormente, Mestre de Espírito dos teólogos; e, finalmente, prior da comunidade entre 1966 e 1969, época na qual é construída a nova igreja do Carmo de Burgos.

É eleito provincial em 1969 e reeleito para o mesmo cargo em 1972. Antes de terminar esse segundo triênio, é eleito Primeiro Definidor e Vigário-Geral da Ordem no Capítulo de 1973. Ao concluir o sexênio, é eleito Prepósito Geral em 1979, sendo reeleito em 1985 e permanecendo no governo da Ordem até 1991.

Nesse ano, vai para a América, onde ainda permanece como Delegado Provincial, tarefa que cumula com a função de formador, sucessivamente, no Paraguai e no Uruguai, e com uma grande dedicação à difusão da espiritualidade carmelitana, através de retiros pregados em comunidades de carmelitas descalças do mundo inteiro.

Atualmente – e a partir de fins de 2015 – pertencia à comunidade de São José em Burgos, de onde acompanhava com atenção todos os acontecimentos de nossa Ordem no Uruguai, Bolívia e Paraguai.