Definitório Extraordinário dos Carmelitas Descalços Sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Definitório Extraordinário dos Carmelitas Descalços Sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

O dia foi marcado por alguns acontecimentos significativos, que conferiram-lhe um perfume todo carmelitano.

Às 07:30h, reunimo-nos para a Eucaristia no lugar de nosso primeiro convento, construído em 1622 por Padre Leandro da Anunciação e seus primeiros companheiros recém-chegados a Goa. A escolha de estabelecer uma presença do Carmelo teresiano nessa terra distante não foi casual: naquele tempo, Goa era a capital das Índias portuguesas, com cerca de 200.000 habitantes e 50 lugares de culto, entre igrejas e conventos. Além disso, em 1543 Goa fora ereta pelo Papa como sede da única diocese do Oriente, com jurisdição até o Japão (nesse contexto, compreendemos melhor também a imensa irradiação missionária de São Francisco Xavier). Atualmente, restam apenas algumas ruínas cobertas pela vegetação daquele primeiro convento do Carmo, mas os frades da Província de Karnataka-Goa recentemente limparam e restauraram o lugar. Na área da primitiva igreja descobriram algumas lápides mortuárias, entre as quais as dos cinco mártires da Pérsia. Agora, para a solene celebração – transmitida ao vivo também pela televisão local – chegaram também das outras Províncias da Ordem muitos padres e estudantes (cerca de 140, a metade de nossos jovens em formação na Índia!). Na homilia, o Padre Geral recordou de modo particular os Beatos Dionísio e Redento, que justamente nesse lugar emitiram sua profissão e viveram antes de ser enviados à missão de Sumatra em 1638, onde sofreram o martírio.

Pela manhã, os membros do Definitório Extraordinário tiveram a oportunidade de visitar o templo hindu Manguishi (muito frequentado pelas pessoas da região, sobretudo por famílias) e o antigo convento capuchinho del Pilar, na vizinha cidade de Panji, capital do estado de Goa. Também ali houve no século XIX – e somente por alguns anos – uma pequena presença dos Carmelitas Descalços. A poucos quilômetros de distância, fomos acolhidos com alegria e com a extraordinária generosidade típica das filhas de Santa Teresa, no Carmelo de Chicalim, fundado precisamente há 72 anos, em 9 de fevereiro de 1947. Atualmente, nossas Irmãs são 17, com duas noviças e uma professa temporária.

O dia celebrativo do 400º centenário do início do Carmelo na Índia foi concluído do mesmo modo como começou. Em nosso convento de Margão, a cerca de 25 quilômetros de Old Goa, uma grande quantidade de fiéis e o considerável grupo de estudantes que tínhamos encontrado pela manhã cantaram as Vésperas conosco na igreja totalmente renovada, dedicada precisamente aos Beatos Dionísio e Redento. O Padre Geral abençoou os trabalhos recém-concluídos; em seguida, todos os participantes foram convidados a entrar no belíssimo jardim do convento para continuar a festa, alegrada por música e por um grupo folclórico de dança.