Definitório Extraordinário dos Carmelitas Descalços segunda-feira, 04/02/2019

Definitório Extraordinário dos Carmelitas Descalços segunda-feira, 04/02/2019

Com a missa votiva do Espírito Santo, presidida em inglês pelo Padre Geral, foi aberto o Definitório Extraordinário da Ordem, que acontecerá até o domingo, 10 de fevereiro, junto ao Centro Espiritual Saint Joseph Vaz, em Old Goa (Índia). O grande centro – hoje confiado à diocese – surgiu no lugar em que vieram habitar os nossos primeiros missionários em 1619, há exatamente 400 anos.

Os trabalhos começaram com uma breve sessão inaugural, introduzida pelo Padre Johannes Gorantla. Padre Charles Serrao (Provincial de Karnataka-Goa e presidente da Conferência de Provinciais OCD da Índia) e Padre Andrew (diretor do Centro de Espiritualidade) dirigiram palavras de boas-vindas aos cerca de 70 superiores participantes do Definitório. O Padre Geral foi convidado a acender uma lâmpada, posta diante da mesa da presidência, como sinal da presença de Jesus em nosso meio.

Logo depois, Padre Saverio Cannistrà apresentou o programa geral, a articulação e o método dos trabalhos do Definitório, que será inteiramente dedicado ao processo de releitura e possível revisão de nosso corpus legislativo (Constituições e Normas Aplicativas).

Padre Agustí Borrell, vigário-geral e presidente da Comissão Internacional para a releitura das Constituições, apresentou o relatório: “A releitura das Constituições. Primeira etapa: história e conclusões”.

A manhã foi concluída com um segundo relatório, de caráter mais jurídico, apresentado por Padre Wieslaw Kiwior, sobre a “Revisão do direito próprio OCD no tempo de hoje”.

À tarde, os trabalhos de aprofundamento do tema prosseguiram nos oito grupos geolinguísticos e foram reunidos na sessão plenária, durante a qual os secretários de cada grupo apresentaram sinteticamente o resultado da reflexão comum.

O dia foi concluído com a celebração das Vésperas e um tempo de oração na antiga e bela igreja do Centro, que recorda uma aparição da Cruz em 1619, coincidindo justamente com a chegada dos primeiros carmelitas descalços à Índia.