Definitoire Extraordinaire_Quinta-feira, 07 de fevereiro de 2019

Nessa manhã, levantamos mais cedo que de costume para dirigir-nos a pé até a basílica do Bom Jesus em Old Goa. Nessa magnífica igreja dos jesuítas, consagrada em 1605, conserva-se o corpo incorrupto do grande evangelizador do Oriente: São Francisco Xavier, que divide com Santa Teresa de Lisieux o título de padroeiro das missões. Em presença de muitos fiéis, celebramos a Eucaristia às 07:00h, presidida em inglês por Padre Luis Aróstegui Gamboa, ex-Prepósito Geral e provincial de Navarra, originário – como o santo – do País Basco. Veneramos uma relíquia de São Francisco Xavier e outras relíquias conservadas na sacristia, entre as quais as dos mártires japoneses Paulo Miki e companheiros, cuja memória litúrgica celebramos ontem.

A sessão de trabalho foi introduzida pelo moderador Padre Gabriel Castro, com a leitura do nº 143 das Constituições, no qual se recorda o espírito do reto modo de governar a Ordem, a ter presente sobretudo quando – como nestes dias – se trata de exercer uma responsabilidade em favor de toda a nossa família. Seguiu-se um breve espaço de tempo dedicado às perguntas de esclarecimento dirigidas a Padre Lukasz Kansy e ao Ecônomo Geral, a propósito dos respectivos relatórios de ontem.

O restante da manhã foi dedicado à escuta da aprofundada apresentação de algumas propostas de modificação às Normas Aplicativas (números 135-276), feita por Padre Francisco Javier Mena, definidor para a América Latina, que hoje pôde finalmente, com alegre surpresa, “encontrar pessoalmente” o seu santo patrono! Seu relatório revestia-se de certa importância, dado que os pontos tratados tocam diretamente a estrutura da Ordem e diversos aspectos do governo das circunscrições.

À tarde, os grupos geolinguísticos encontraram-se mais uma vez para discutir juntos sobre esse ponto. Às 18:00h, todos os participantes reuniram-se em assembleia para um tempo de perguntas sobre as questões tratadas na conferência da manhã. Logo depois, sucederam-se três breves comunicações:

– Padre Francisco Javier Mena fez-se porta-voz de um apelo enviado pela família carmelitana na Venezuela (frades, monjas e seculares) por uma campanha de oração e intercessão em favor daquele país martirizado, mas também por uma manifestação concreta de solidariedade;

– Padre Guillaume Dehorter, provincial de Paris, apresentou a situação da missão no Iraque, onde atualmente encontra-se apenas um frade iraquiano, e convidou todos os provinciais a apoiar e promover o projeto de refundação da comunidade, colocando à disposição algum religioso dotado das disposições necessárias;

– por fim, o definidor Padre Johannes Gorantla apresentou a realidade educativa do Colégio Internacional e do Seminarium Missionum (Comunidade de Especialização), anexo ao Teresianum de Roma, exortando as províncias – sobretudo as europeias – a aproveitar as oportunidades oferecidas por nossas instituições.

Depois do jantar, foi apresentado um belo vídeo preparado pelas Províncias indianas, por ocasião dos 400 anos de presença do Carmelo na Índia. Através da narração da história e do crescimento de nossa presença no país, feita pelos sete provinciais e outros religiosos de diferentes idades, pudemos conhecer um pouco melhor os rostos e lugares dessa realidade tão significativa para a Ordem.