450 anos da fundação de Malagón (terceira fundação de Santa Teresa)

450 anos da fundação de Malagón  (terceira fundação de Santa Teresa)

“No dia de Ramos [11 de abril], ano de 1568, passando a procissão do lugar por nós, com os véus diante do rosto e capas brancas, fomos à igreja do lugar, onde houve pregação, e dali levou-se o Santíssimo Sacramento ao nosso mosteiro. Causou muita devoção a todos”.

Assim narra Santa Teresa no capítulo 9, parágrafo 5, do Livro das Fundações, a fundação do mosteiro de Malagón, terceiro da Reforma. No dia 11 de abril cumpriram-se, portanto, 450 anos de tal acontecimento, celebrado também com devoção e entusiasmo pelos habitantes e instituições dessa cidade da Província de Ciudad Real, na Espanha.

Numerosos atos religiosos e culturais vinham acontecendo em Malagón já há alguns meses por causa desse aniversário: à inauguração de um museu teresiano – em cujo projeto colaborou em primeira linha o Padre Ricardo Plaza, carmelita descalço do convento de Toledo –, seguiu-se a apresentação de um vídeo sobre as fundações teresianas.

Já em datas próximas ao 450º aniversário – concretamente entre 9 e 14 de abril –, multiplicaram-se os eventos de todo tipo. Destaque para a apresentação do livro-memória do Vº centenário teresiano em Malagón, a inauguração da “porta do encontro” no mosteiro – na qual estão representados em autorrelevo a Virgem do Carmo, São José, São João da Cruz e Santa Teresa de Jesus – ou a declaração de Teresa como prefeita honorária da localidade.

Uma procissão com a imagem de Santa Teresa escritora, conservada na clausura, e a missa de ação de graças, que lotou a praça do convento e na qual Dom Gerardo Melgar, bispo de Ciudad Real, agradeceu em nome de todo o povo pelos 450 anos de presença orante das carmelitas descalças, concluíram as celebrações.